120

Itatim

Pular para o conteúdo
Última atualização:
|
Prefeitura Municipal de
Itatim



Visão Geral


Visão Geral

Bandeira
Brasão Brasão do Município
  • Aniversário: 14 de junho
  • Fundação: 14 de junho de 1989
  • Padroeiro (a):Nossa Senhora da Conceição
  • Gentílio:Itatiense
  • Cep: 46875-000
  • População: 14600 (estimativa)
  • Prefeito (a): ()
    -

Cultura

Partindo do pressuposto histórico social que fundamenta os preceitos culturais do município de Itatim, assegura-se que os mesmos perpassam por influência direta das famílias fundadoras que apresentam um forte conceito católico em suas raízes primárias, o que mantém vivo nas expressões de cunho religiosas e culturais presentes no cotidiano real da comunidade ,por meio dos festejos dos padroeiros e as celebrações juninas que são de inerência muito consolidadas. Ainda por influência dos primeiros povos a habitarem a região (os índios cariris e sabujas) e também dos negros tem-se, as artes em palha e barroque gera renda e interfere intensamente no modo de vida local, fazendo com que haja uma representatividade e reconhecimento a nível nacional.

1.1 Segmentos Culturais, manifestações e bens de cultura

No dia 13 de junho comemora-se a festa de Santo Antônio, tradição criada no município pela família Rebouças, especificamente pela Srª Maria Aurina Ribeiro Rebouças juntamente com outras famílias, a qual, muito devota do santo e com a ajuda das pessoas daquela época, construíram a igrejinha de Santo Antônio localizada no Centro da cidade, passando a partir daí a comemorar todos os anos a festa de Santo Antônio. Devido ao crescimento populacional, na época, o Padre Henrique Sanches, juntamente com alguns fiéis que viram a necessidade de construir um templo maior e dessa forma, a partir dos anos 80 deu-se início à construção de uma nova Igreja. Para escolha do padroeiro foi realizada uma consulta popular ,sendo eleita como padroeira Nossa Senhora da Conceição, a qual tem sua festa comemorada no dia 08 de dezembro. Tradicionalmente, nessa mesma data toda comunidade católica participa da missa, acompanhada de procissão com queima de fogos em homenagem à santa. E, só no dia 24 de maio de 2015, a Diocese de Amargosa, sob a administração do Bispo D.João Nilton Souza criou e instalou a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Itatim, desmembrando-se da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Santa Terezinha.
A comunidade católica em gratidão à emancipação Política Administrativa festeja também, tradicionalmente, o aniversário da cidade e festa de Santo Antônio com alvorada, missa e procissão. A diversidade religiosa é bem evidente no município, sendo o catolicismo a religião predominante, seguida da crescente comunidade evangélica, observando-se ainda praticantes do espiritismo, umbandismo e candomblé.
No último sábado do mês de novembro comemora-se o Dia do Evangélico ,que foi instituído através da Lei nº 322 de 09 de outubro de 2017. A União dos Evangélicos de Itatim - UEI é composta pela maior parte das igrejas evangélicas que juntas, desde o ano de 1999 comemoram o Dia do Evangélico, uma festa que agrega todas as pessoas cristãs com bandas e apresentações de cantores Gospel. Esse evento iniciou-se com passeata em comemoração ao Dia da Bíblia e após a criação da UEI – União dos Evangélicos de Itatim essa festa vem crescendo a cada ano atraindo fiéis de vários municípios circunvizinhos.
As festas juninas antigamente eram comemoradas casa a casa, por cada família deste município, com fogueiras, forró, balões, comidas e bebidas típicas.
O prefeito José Edson Figueiredo Andrade foi o precursor da organização dos festejos juninos, como um evento institucional, e a festa então ganhou o nome de Ita Forró, realizada em um espaço fechado, afastado do centro da cidade.
Na administração de Grinaldo Andrade Nunes, o local da festa mudou para a Praça do Comércio, no centro da cidade, e a nomenclatura de Ita Forró foi substituída para Central do Forró. Isso porque o filme Central do Brasil havia sido gravado nas imediações de Itatim - o ano era 1999 - e exibido pela Rede Globo.
Ao longo dos anos, a Prefeitura manteve a comemoração do São João, que voltou a ser Ita Forró.
A partir do ano de 2013, na gestão do Prefeito Gilmar Pereira Nogueira (Tingão) a festa se modernizou, ganhou um novo impulso com investimentos na contratação de artistas renomados no cenário nacional e transformou-se numa das maiores tradições da região. Em 2015, a prefeitura construiu um novo espaço, exclusivo para o Ita Forró, batizado de “Arena de Show’s”. O local dispõe de toda estrutura para receber os fãs das festas juninas com maior comodidade, recebendo milhares de pessoas, entre moradores e turistas, nos dias de festa.
No mês de maio acontece a Cavalgada dos Amigos, onde se juntam vaqueiros e simpatizantes da região, tendo como ponto de partida a cidade de Itatim, dirigindo-se para o povoado de Tanque da Laje, onde acontece a corrida de argolinha, provas de vaqueiros perseguindo e capturando gado e, festas dançantes com grupos e bandas musicais de Itatim e região.
No mês de junho, comemora-se o dia de São Pedro, denominada festa das viúvas. A festa é realizada com mais intensidade no Povoado de Lagoa de Tanquinho na Zona Rural.
Outro aspecto cultural é a feira livre, realizada toda segunda-feira na Praça do Comércio, muito frequentado pelos comerciantes ambulantes dos municípios circunvizinhos, sendo uma das maiores da região, onde são vendidos praticamente todos os tipos de produtos: principalmente as típicas panelas de barro e outros produtos de cerâmicas produzidos por diversas famílias da zona rural.
No campo do audiovisual há produção de documentários sobre as festas juninas, as pinturas rupestres e outros acontecimentos locais. Os trabalhos de responsabilidade da prefeitura são feitos por meio de empresas licitadas para tal fim. Nas artes visuais há no município pessoas que se dedicam ao desenho ,pinturas ,grafite ,fotografia ,artesanato ,etc.
Na produção literária, destacamos o escritor Jeová Pinto com a obra“ Tanquinho de Ontem Itatim de Hoje ”,na literatura de cordel destaca-se o senhor Claudionício por ser o mais conhecido, porém há outros cordelistas, além dos trabalhos de estímulo ao livro ,leitura e literatura que são realizados pelas escolas, há presença de contadores de causos, estórias, contos, lendas, parlendas, principalmente nas comunidades rurais que preservam suas memórias e repassam para novas gerações.
Nas manifestações culturais, tradicionais e contemporâneas existem as comidas típicas da região, da culinária afro-baiana como o caruru, vatapá ,sarapatel, galinha caipira, dobradinha com feijão branco, carne de sol de boi, bode, caldo de mocotó, acarajé, abará, milho assado, canjica, pamonha, bolo de aipim, bolo de puba e a cocada do ouricuri, destacando-se a feijoada, buchada e ensopado de bode.
Há presença de grupos de capoeira no município, porém o mais atuante é o Grupo de Capoeira Esquiva pertencente à Associação Brasileira de Capoeira Esquiva (ABCE) acompanhada pelo professor Romildo Matos que atua na cidade com o público infanto-juvenil.
Na cultura popular se destaca os contos, causos, cordéis, lendas, parlendas e histórias que deram origem a muitas comunidades. As benzedeiras, curandeiras, rezadeiras, sambadores, reisado, parteiras, a medicina popular, as festas de padroeiros, procissões religiosas e todas as comunidades, as rezas dedicadas aos santos: Cosme, Damião e Santa Bárbara.
Como patrimônio material destaca-se a estação ferroviária, a igreja de Santo Antônio no centro da cidade, a igreja na pedra da Ponta Aguda. Chama-se a atenção para os sítios arqueológicos e pinturas rupestres.
Na comunidade rural de Entre Morros foi realizada uma pesquisa junto à Fundação Cultural Palmares para reivindicar o reconhecimento remanescente de quilombo, através da Associação Comunitária Local, a qual organizou e protocolou todos os documentos necessários para sua certificação. Diante da perspectiva, o processo foi iniciado em junho de 2017 e protocolado em novembro do mesmo ano na Fundação Cultural de Palmares. No entanto, em abril de 2018 tornou-se efetivada por publicação no Diário Oficial da União e em 17 de fevereiro de 2020, ocorreu a entrega oficial do documento à comunidade remanescente quilombola.
O município se destaca no artesanato em barro (panelas, potes, etc),em palha (chapéus, esteiras, etc) e madeira (mesas, cadeiras, etc) produzidos no próprio município pelos artesãos, bem como, trazidos de outros municípios do estado da Bahia para serem comercializados às margens da BR116, na feira livre e por encomendas. Predomina também a prática de bordados e pinturas em tecido, ponto cruz, crochê, dentre outros. Essa prática tem se tornado a renda de muitas famílias da localidade.
O público artístico e cultural do município não são organizados em fóruns setoriais, nem registrados em associações, grupos, cooperativas, movimentos para reivindicar seus direitos e fortalecer as ações locais, posto que a maioria é artista, produtor ou artesão independente.
A Prefeitura Municipal de Itatim possui em sua estrutura administrativa a Secretaria de Educação, Cultura, Desporto e Lazer que é o órgão gestor da cultura e dentro do seu organograma ,a Diretoria de Culturas e responsabiliza pelo acompanhamento e execução das ações culturais. O município é integrante do Sistema Nacional de Cultura, cujo protocolo de intenções foi publicado no Diário Oficial da União, em 15 de janeiro de 2014.


Geografia

A sua área de extensão territorial é de 583,446Km², e está inserida na folha cartográfica de Milagres (SD. 24-V-B-V), editada pelo MINTER/SUDENE, em1977. Possui uma altitude de 260 metros e coordenadas geográficas de-12°42’15’’de altitudes ule-39°41’42’’de longitude oeste.
Está situado na região intermediaria de Santo Antônio de Jesus, pertence à microrregião de Feira de Santana e integrante do Território de Identidade Piemonte do Paraguaçu, tendo como vias de acessos principais a BR 116 e 324, e também a BA Estadual 493 que liga a BR101 com a BR116.
Seu território é cortado por uma das rodovias mais importantes do país, a BR 116, Norte a Sul do país, (Rio - Bahia). O acesso à sede do município é facilitado por meio de transporte que abrange uma rota interestadual, além de contar com transportes alternativos. O município de Itatim está localizado no Recôncavo Sul do Estado da Bahia, a 210 km da capital do estado, limitando-se, a leste, com o município de Santa Terezinha, a sul, com o município de Milagres, a oeste com o município de Iaçu e ao norte com o município de Rafael Jambeiro.
O município possui como principais localidades rurais: Argelin ,Beira do Rio, Cabaceiras, Cachoeirinha I, Cachoeirinha II, Capoeiras, Cibe, Coité, Comboio, Comum, Departamento, Duas Pontas, Entre Morros, Felipe Velho, Gameleira, Gino, Jurema, Lagoa de Tanquinho, Lagoa do Canto, Lajedo Grande, Macaco, Meireles, Melancias, Mendes, Monte Alto, Morrinhos ,Morro do Tigre, Morro Preto, Pé de Serra, Pedra Redonda, Pistola, Ponta Aguda, Quintal de Cana, Raposa, Renovato, Riacho Seco, Sabino, Torres ,Traíras , Vila São Geraldo, dentre outras.
O município de Itatim é constituído essencialmente por rochas cristalinas pertencentes aos complexos de Jequié e Caraíba, e corpos máficos-ultra máficos diferenciados, estreitos alongados que ocorrem na porção norte e sul do município. Por isso, possui altas colinas encantadoras, excelentes para a prática do ecoturismo ou rapel, e apresenta um relevo formado pelo Pediplano Sertanejo eTabuleiro Pré–Litorâneos.
É caracterizado por suas formações rochosas distintas, destacando-se, além do morro da Ponta Aguda, os morros da Toca, Enxadão, Tiresoles e tantos outros. Em função da natureza geológica dessas formações, a cidade tornou-se um centro muito frequentado pelos praticantes da escala da esportiva, tendo sediado em 2009 o VIII Encontro de Escaladores do Nordeste (EENE), o mais importante da categoria, no Brasil.
A biota ali encontrada é bastante ameaçada, pois a exploração e comercialização de granito para pavimentação pública e para alvenarias são muito intensas nessas áreas. Além disso, as plantas altamente adaptadas a esses lugares são muito apreciadas para ornamentação, tornando acelerado o processo de depredação por populares em busca de novos exemplares para serem vendidas em feiras e em barracas colocadas às margens da BR-116. A formação natural de abrigos e tocas nestes a floramentos levou a sua utilização pelos habitantes pré-históricos do semiárido, que deixaram o registro de sua passagem através de pinturas rupestres encontradas no interior de algumas rochas.

População


Os habitantes de Itatim se chamam itatienses. A população é originária dos povos indígenas, negros e portugueses. Devido à construção da linha férrea e da BR 116 sul, pessoas dos estados de Paraná, Minas Gerais, entre outros, e demais localidades da Bahia, como: Amargosa, Cachoeira, São Félix, Castro Alves e Santa Terezinha antes município de Tanquinho–migraram em busca de emprego, aqui residiram, formaram suas famílias resultando assim na povoação do município.
A população residente em 2010, segundo o Censo Demográfico (IBGE) era de 14.522 habitantes, com densidade populacional de 24,89hab./km². O município é tipicamente urbano, pois a maior parte de sua população reside na área do perímetro urbano desde sua fundação, tendo inclusive a taxa de urbanização ampliada nos Censos Populacionais realizados no município, passando de 63,30% em 1991 para 69,63% em 2010, apresentando a taxa de crescimento anual da população de 1,35%. Com base no censo demográfico a estimativa para 2020 éde14.539 habitantes.
As características étnico-raciais predominante da população itatiense são pardas, seguida de brancos, negros, amarelos e indígenas. A religião predominante é a Católica Apostólica Romana com 11.388 pessoas, tendo também as religiões Evangélicas com 2.162 seguidores e Espírita 27 pessoas, nos dados do IBGE não foram registrados os adeptos às religiões de matrizes africanas, mas existem no município. Dos 14.522 residentes, 10.301 são alfabetizados. Na tabela 4 apresentamos o número da população seguida da faixa etária.
Um dos fatores que contribui para o aumento da taxa de urbanização é à saída de pequenos produtores da zona rural em virtude dos grandes períodos de estiagem e inexistência de uma política agráriano município, e também, a busca de estudos mais avançados por parte dos mais jovens nos centros urbanos. Esses processos os força a vender suas terras e migrar para a sede do município com suas famílias. Uma vez na cidade, tais produtores acabam trabalhando em pequenos comércios nos bairros, frentistas nos postos de combustíveis ou como diaristas em outras propriedades. Isso quando eles não emigram para os grandes centros urbanos.

Clima

O clima de Itatim é tipicamente semiárido, o município está totalmente inserido no Polígono das Secas, tendo, portanto, um alto risco de estiagem. O índice pluviométrico médio fica em torno de 551 mm anuais, e nos períodos mais secos este índice pode alcançar 142 mm, e nos mais chuvosos 1.206 mm anuais; esse período de maior precipitação situa-se entre os meses de dezembro a fevereiro, apesar de haver variações inter anuais, com pelo menos cinco meses secos durante o ano. Quanto à temperatura média anual, é de 24,3°C, podendo a máxima atingir 29,9º C e a mínima 20,6°C.
No que diz respeito aos aspectos hidrográficos, o município é constituído na porção norte pela bacia do rio Paraguaçu, enquanto a metade sul possui drenagens que fluem para a bacia do rio Jequiriçá. Com relação às águas subterrâneas, o município é ocupado unicamente pelo domínio hidrogeológico do cristalino. Este domínio tem comportamento de “aquíferofissural”.Como basicamente não existe uma porosidade primária nos tipos de rochas que o compõem, a ocorrência de água subterrânea é condicionada por uma porosidade secundária representada por fraturas e fendas, o que se traduz por reservatórios aleatórios, descontínuos e de pequena extensão.
Quanto à dimensão ambiental a região está inserida no bioma da caatinga, onde muitas das espécies vegetais são endêmicas ao bioma da região ,é submetida a ventos fortes e secos, que contribuem para a aridez da paisagem nos meses de seca. Assim, Itatim tem sua paisagem formada por uma caatinga aberta, com árvores esparsas e solo quase descoberto. Há vegetação dos tipos caatinga arbórea, caatinga arbustiva aberta e floresta estacional decidual. Apresenta também, florestas e mi-decíduaarbóreo-arbustiva nas faces norte e sul. É também dominada por plantações de sisal, a vegetação é bastante alterada, havendo muitas pedreiras em atividades. Parte da vegetação é também utilizada como pastagem nativa para bovinos e caprinos.
A região é caracterizada pela presença de numerosos inselbergs e pela vegetação a esses associados, com destaque à formação de caatinga – arbórea – estacional – semi-decídua – que forma um anel de 15 a 20 metros de largura na base dos inselbergs e cujas características diferem das caatingas adjacentes por serem mais densas e apresentarem serrapilheira. Essa formação tem como plantas características: Bromeliaceae, Cactaceae, Caesalpiniaceae, Euphorbiaceae, Fabaceae e Myrtaceae. Nesse ambiente foi coletado pelos estudantes da UEFS–Universidade Estadual de Feira de Santana 50 espécies de formigas e 60 espécies de abelhas. Há mais espécies da fauna e da flora, porém é preciso um estudo profundo acerca da temática.

História

O município de Itatim, inicialmente, foi habitado por índios cariris e sabujás, osquaisforamgradativamenteexpulsospelosbandeirantesquepassaramahabitara região, e também, por negros escravizados fugidos das fazendas dos coronéis que aqui formaram quilombos. A miscigenação do povo foi composta também por trabalhadores de toda parte do país, oriundos do período da construção da via férrea que corta o centro da cidade. Seu nome se deve a um termo tupi, que significa bico de pedra, através da junção dos termos Ita (pedra) e tim (aguda)sendo uma referência ao Morro da Ponta Aguda ,uma elevação geográfica próxima da cidade ,principal referência para os munícipes ,um dos principais cartões postais da cidade
O município foi criado pela Lei Estadual 5.015, de 13 de junho de 1989 ,publicado no Diário Oficial em 14 de junho deste mesmo ano ,sendo desmembrado dos municípios de Santa Terezinha ,se emancipando em 1º de janeiro de 1990. Sua divisão territorial é datada de 1993. O município é composto de 1 (um) distrito sede e aproximadamente 60 (sessenta) localidades, com divisão territorial atual datada desde o ano de 2007.
Importante meio de acesso local ,a estrada de ferro foi instalada no município em 1879, por meio da força laboral dos garimpeiros, entre os quais se destacaram as famílias dos Senhores José Rufino Santana, José Vieira Gomes ,Aristóteles Carneiro, Leolino Rebouças e a Senhora Maria Aurina Ribeiro Rebouças. Devido à construção da via férrea ,originou-se a formação de um povoado por nome de “Tanquinho”, em virtude de um tanque de formação rochosa existente no povoado ,tendo as famílias Vieira Gomes e Rebouças como precursoras desta organização. Com a estrada de ferro funcionando foi possível escoar a produção para as cidades de Cachoeira e
Salvador ,realizando também o transporte de trem de passageiros.
A feira livre do povoado ,importante meio de crescimento e desenvolvimento local ,teve início no ano de 1948, organizada por Morena Rebouças e seu esposo ,bem como por Lió Rebouças ,Aristóteles Carneiro ,Cícero Cardoso, Jacob, Martinho Pinto Santana, Eugenio Andrade, dentre outros. Além da formação da feira livre, foram surgindo outros organismos, como as escolas, o trem de passageiros e carga, a construção da Igreja de Santo Antônio e o acampamento para a construção da BR116.Iniciou-se,dessa forma ,o crescimento e desenvolvimento de Tanquinho, culminando com a inauguração da 2ª estação ferroviária, já então com a nova denominação de Itatim, sugerido pelo padre Jonas Vaz Galvão, em 1950.
Ainda no início de sua formação foi construída, pela senhora “Morena” -matriarca da família Rebouças - uma capela no centro do povoado, tendo como padroeiro Santo Antônio, o que deu início a organização religiosa e comunitária da localidade, o que fez impulsionar o comércio em seu entorno. As trezenas, em homenagem ao santo padroeiro, celebradas com hinos, cânticos populares, ofícios, e a cada ano as treze noites ficavam cada vez mais numerosa e participativa ,aumentando o fluxo de pessoas até o seu epílogo, em 13 de junho ,dia da festa de Santo Antônio.
Assim, o município conta com suas datas comemorativas fixadas em leis e decretos como feriados e dias santos, a saber: 13 de junho -Festa de Santo Antônio e Emancipação Política da cidade ; último sábado de novembro - Dia do Evangélico e 08 de dezembro - Dia da Padroeira da Paróquia Nossa Senhora da Conceição.

Turismo


No que concerne às questões desportivas e turísticas e que também apresenta cunho social, educacional e cultural, o município de Itatim está inserido no mapa do turismo. Nas temporadas de férias e outras, o município recebe turistas para a prática de rapel, trilhas/motocross, ciclo turismo, montanhismo, voo livre (asadelta). Além de receber estudantes de universidades para pesquisas sobre as pinturas rupestres, o relevo e a vegetação do município.
O esporte também tem destaque na região, principalmente o futsal, modalidade em que a seleção do município já venceu vários campeonatos intermunicipais. O futsal feminino também tem se destacado nos últimos anos, quando foram campeãs do zonal dos jogos abertos do interior organizado pela SUDESB. No futebol, o município participa de campeonatos intermunicipais é um dos esportes mais desejados, pois em cada comunidade há um campo e alise forma um time oficial da localidade onde promovem torneios.
É salutar destacar a importância da modalidade voleibol que tem como fundamento compreender certo número de habilidades e técnicas que foram introduzidas ao longo da história e hoje é considerada uma prática comum no esporte de Itatim que vem se destacando com equipes bem engajadas.
A cidade passou a desenvolver atividades voltadas a essas práticas esportivas, conquistando dezenas de jovens do município e criando o Clube Calangos D’aventura, fortalecendo, não só o montanhismo, como também as trilhas ecológicas, visitas e descobertas de pinturas rupestres, ciclismo e caminhadas, movimentando ainda o comércio local com a venda de gêneros alimentícios, hotelaria, roupas e calçados, dentre outros.

Letra do Hino

Mil novecentos e oitenta e nove
Em consulta popular
Povo unido! Decidido!
Com o sim, fez liberdade reinar.

Defender-te-ei tão forte na labuta
Indo a luta vi progresso acontecer
Hastear tua bandeira, nossa honra,
Pois somos livres, empenhados a crescer.

Itatim! Terra amada!
Considerada como nossa mãe gentil,
Por ser cortada por BR e linha férrea,
Que dá passagem ao progresso do Brasil.

Ser filho desta terra, um orgulho!
Povo heroico, bravo e trabalhador.
Traz do passado a presente esperança,
De crescimento e futuro promissor.

Este chão que em versos é cantado,
Foi habitado pelos índios cariris,
Da natureza aos nossos olhos, belas artes,
Que enfeitam este pedaço do Brasil.

Itatim! Terra amada!
Considerada como nossa mãe gentil,
Por ser cortada por BR e linha férrea,
Que dá passagem ao progresso do Brasil.

Do alto do céu surgem raios fulgurantes.
Anunciando que o bom tempo chegou,
A chuva deixa a caatinga verdejante,
A passarada alegre canta em louvor.

Nossas montanhas, lagoas e nosso rio,
Todos os lados vejo beleza sem fim,
Paisagens que nos cercam e nos fascinam
És a cidade das colinas, Itatim.

Itatim! Terra amada!
Considerada como nossa mãe gentil,
Por ser cortada por BR e linha férrea,
Que dá passagem ao progresso do Brasil.

A vista panorâmica deslumbrante!
Que encanta este lugar
Presente da nossa mãe natureza
Que nos convida a preservar.

Majestosa é a nossa pedra amada!
Um encanto de beleza natural
Chamada de Ponta-aguda
Símbolo deste lugar.

Letra e melodia por Antônio Edison da Silva Sampaio e Claudionício Cardoso Alves.